<<

Nosso Espaço



Nosso Espaço
Nos EUA, no século 18, bandoleiros mexicanos e norte-americanos
eram estimulados a matar os indígenas que povoavam o meio-oeste
norte-americano.
Para receber os dólares pelo genocídio, precisavam comprovar a
morte de cada índio.
A maneira mais consagrada era o escalpo – arrancar à faca o couro cabeludo de cada indío.
Depois, virou o contrário: os índigenas norte-americanos começaram a se vingar da mesma forma e o escalpelamento virou uma espécie de status nas tribos, tanto que a origem da prática é bem pouco conhecida.
Escalpo, no fim das contas, ficou sendo a marca da extrema violência de que eram capazes os índios da América do Norte contra os brancos invasores vindos da Grã-Bretanha.

Em meados dos anos 80 do século 20, na Bahia, Jerson Mattos achou a história curiosa e resolveu que esse era o nome mais adequado para o salão de beleza que iria montar na Rua da Flórida, na Graça. Ironia pura, claro.
Talvez por isso, ou pela extrema simpatia com que sempre tratou seus amigos e clientes, o Escalpo bombou.
Gente de tudo quanto é parte de Salvador passou a frequentar a Graça só para ter os cabelos cortados por Jerson.
E, claro, para desfrutar de seu bom humor, do alto-astral que cerca seu ambiente de trabalho, para ouvir sua gargalhada gostosa de menino. Nessa brincadeira, quase três décadas já se passaram.
Jerson tem esse negócio. A gente vai cortar o cabelo com ele não só porque sabe que ele vai dar aquele jeito que a gente queria, mas também para aquele papo sem propósito, para ouvir uma boa música ou ver um bom videoclipe.
Com Rocha, seu parceiro e fiel escudeiro, ele transformou o Escalpo da Graça num verdadeiro centro cultural.
Quando CD e DVD ainda eram novidade, os dois começaram a montar um acervo que chegou a quase 9 mil títulos de tudo o que rolava de mais moderno no mundo – e o pessoal passou a cortar cabelo e alugar CD, cortar cabelo e alugar DVD...

O tempo passou e o Escalpo se mudou para o Rio Vermelho.
Virou Espaço Escalpo.
O negócio dos cabelos continua o mesmo.
Os fãs de Jerson seguem suas tesouras e suas gargalhadas para onde quer que ele as leve.
Cabeleireiro é que nem psicanalista, você não consegue confiar de cara, e, quando confia... ah, meu bem, separar-se dele é um problema (eu que o diga).
A diferença, agora, é que no lugar dos CDs e DVDs, os clientes e amigos encontram uma oferta de mimos variados, uma verdadeira lojinha de minibelezas: joias em prata e madeira, miniaturas de carros, pinguins, pequenos Budas, colares, bolsas, pequenas arcas de madeira, peças de decoração – um sem-fim de souvenirs de muito bom gosto para toda ocasião.
A cara de Jerson. A cara de Rocha. E que saudade que dá!

Sandro Lobo
Brasília, 17 de maio de 2012


LOCALIZAÇÃO:
Nossa loja fica no bairro mais charmoso de Salvador, o Rio Vermelho.

Bairro dos boêmios, dos artistas, das baianas dos acarajés mais famosos da cidade, do 2 de fevereiro: dia de Yemanjá.

Bairro dos amados Jorge, Gal e Caetano.

Quando vier ao Rio Vermelho, venha nos visitar:
estamos próximo ao acarajé da Cira no Largo da Mariquita

Rua do Meio, 74 - Tel: (71) 3334.4324
ESPAÇO ESCALPO   -   71 3334-4324
Rua do Meio, 74 - Rio Vermelho. Salvador-BA

Para dúvidas em relação à nossa localização ou a nossos produtos, CONTATE-NOS


Design: Neri Molinero
Desenvolvimento: